A transcontinental é uma realidade.

Ver PDF em tela cheia
Transcrição (OCR)
TNDIOS BOLIVIANOS COM SEUS COCARES TTPICOS, PRIMOR DE COLORIDA E TRABALHADA ARTE DOS INDÍGENAS
A TRANSCONTINENTAL É U //A Li D D

. Brasil, Bolívia, Peru, Chil e e Paraguai serão be­ nef!c1 dos por êsse sistema ferroviário, cujo trecho a is_ 1mpo; t nte econômicamente será inaugurado em Janeiro prox1mo, com a presença do s r. G etú lio Va r­ gas e Paz Estensoro. Yale a pena mencionar que a construção teve início em 1 9 38 quando Vargas es­ tava no poder e que é êle, ainda no poder, que i na u­ gurará a Estrada. Coube ainda ao govêrno, através do atual embaixador Hugo Bethlem e de acôrdo com as instruções do f)1inistro R á o , concluir e firm ar :;s

not as rever sa is a respeito do petróleo da faixa sub­ andina da Bo lívi a, ass u nto que se e nco n t ra estreita­ mente vinculado ao Tratado de 1 9 38 .

Sôbre ser, co nfo rme sali e nk i. uma das mais no ­ táveis rea li zações elll favor da i nt e r li gação e expa n­ são do Co nt inente, é o resu l tado da press,"io das ri­ quez as em pote ncial ex is te ntes no oriente boi iv iano . f: o seu petróleo, são as suas reservas min era is, as suas terras férteis, a pecuá ria, as pla nícies, os rios que for­ mam o imenso conjunto transbo rd ante de magnífic;is

perspcc ti v;is p:ira L' s, c po v L, hcr<'ÍcL1 yllt'. c.1nr"in.1J,, • 1.1

'"t ra éd ia o ro 1? r )fi._· a do :,. .-ndc,... t,u " ;i os rt.· u r o

da ivi li zaç:i-o p:1r:1 n i,1r a s t t . 1 c, i ili?:1,-;i,, :1 1':1sc f,1

desenvolvimento c..·'""·o nt)nli :o . F .lssi111. C::,,;sc.' pCI ".., 1..7uc

vive a 4 mil metros ,k :iltura. c·o m ,1 ,, ... ra,· .,i, i n.:h .1d,,

e' :1 im a g i n 11,,;jo ferv..... nd ..) t' crit)ll O [ri :l ng ulo 1d r11i w n is tr a tivo La Pa z-C o.: ha t',a m t>a -O r u n, . num:i cri,.:, l.1- quele 00 csfl'•1· o hcn,ico... Jc que rw, Lil , .1 a i : tL' e, L quentemente Ruy Barbosa. enc ,1nt ra nlw,,, rotc·irL· .k progressn e de pc1ss ibil iJ :1de : L• .-tli1ntiúl t· ,1 P.1, ifi ,_L·,


,
BOLIVIA


A arquitetura incaica é a maior pro1'a da im por­ tància de um povo qi1e constrni11 11111 im pério fabuloso, Seus templos resistiram ao te m po e às lu ta s político-religiosc.s. E contimwm sóli dos .


E l< TACh RO l.1ES DE Tl-.!ORLiCHE'.


A "chola" e o filh o 110s se1t s t ra jes t í picos, sírnliolos hu manos da Bolívia. Entre 11ós, tais tipos estc'io ' sendo d i1' 11l gados pela pi 11torn mode rna 1 Iaria L11i:a de Pac heco. Pi11t11ra holir imrn é 111oda.


Os indios al tiplânicos, descendentes diretos dos Incas, são exuberantes em suas demonstrações artísticas. A dan­ ça e a música dêles é famosa e estu­ dada em todo o mundo ociden tal .


Dia de festa na aldei_a. Turistas e estudiosos de todo o mundo visitam a Bolívia e o Peru para participar dos festejos populares dos índios. Uma festa de muitas côres. Uma beleza !

Sobre a coleção

Museu Ferroviário Regional de Bauru

Instalado junto à Estação Ferroviária, no centro da cidade Bauru, o Museu Ferroviário oferece ao visitante uma volta ao passado glorioso das ferrovias brasileiras, com exposição de fotografias, documentos, peças originais, maquetes e recriação de ambientes que remetem aos tempos da construção da NOB, até o final dos anos 30. Além de um passeio histórico através de curiosidades e peças de grande valor artístico, o Museu proporciona uma aula completa sobre a importância das ferrovias para o desenvolvimento econômico de Bauru e de todo o interior do Brasil.

Programa de Ação Cultural (ProAC) da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo
Apoio
Secretaria Municipal de Cultura de Bauru
Realização
Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo