A transcontinental é uma realidade.

Ver PDF em tela cheia
Transcrição (OCR)
TNDIOS BOLIVIANOS COM SEUS COCARES TTPICOS, PRIMOR DE COLORIDA E TRABALHADA ARTE DOS INDÍGENAS
A TRANSCONTINENTAL É U //A Li D D

. Brasil, Bolívia, Peru, Chil e e Paraguai serão be­ nef!c1 dos por êsse sistema ferroviário, cujo trecho a is_ 1mpo; t nte econômicamente será inaugurado em Janeiro prox1mo, com a presença do s r. G etú lio Va r­ gas e Paz Estensoro. Yale a pena mencionar que a construção teve início em 1 9 38 quando Vargas es­ tava no poder e que é êle, ainda no poder, que i na u­ gurará a Estrada. Coube ainda ao govêrno, através do atual embaixador Hugo Bethlem e de acôrdo com as instruções do f)1inistro R á o , concluir e firm ar :;s

not as rever sa is a respeito do petróleo da faixa sub­ andina da Bo lívi a, ass u nto que se e nco n t ra estreita­ mente vinculado ao Tratado de 1 9 38 .

Sôbre ser, co nfo rme sali e nk i. uma das mais no ­ táveis rea li zações elll favor da i nt e r li gação e expa n­ são do Co nt inente, é o resu l tado da press,"io das ri­ quez as em pote ncial ex is te ntes no oriente boi iv iano . f: o seu petróleo, são as suas reservas min era is, as suas terras férteis, a pecuá ria, as pla nícies, os rios que for­ mam o imenso conjunto transbo rd ante de magnífic;is

perspcc ti v;is p:ira L' s, c po v L, hcr<'ÍcL1 yllt'. c.1nr"in.1J,, • 1.1

'"t ra éd ia o ro 1? r )fi._· a do :,. .-ndc,... t,u " ;i os rt.· u r o

da ivi li zaç:i-o p:1r:1 n i,1r a s t t . 1 c, i ili?:1,-;i,, :1 1':1sc f,1

desenvolvimento c..·'""·o nt)nli :o . F .lssi111. C::,,;sc.' pCI ".., 1..7uc

vive a 4 mil metros ,k :iltura. c·o m ,1 ,, ... ra,· .,i, i n.:h .1d,,

e' :1 im a g i n 11,,;jo ferv..... nd ..) t' crit)ll O [ri :l ng ulo 1d r11i w n is tr a tivo La Pa z-C o.: ha t',a m t>a -O r u n, . num:i cri,.:, l.1- quele 00 csfl'•1· o hcn,ico... Jc que rw, Lil , .1 a i : tL' e, L quentemente Ruy Barbosa. enc ,1nt ra nlw,,, rotc·irL· .k progressn e de pc1ss ibil iJ :1de : L• .-tli1ntiúl t· ,1 P.1, ifi ,_L·,


,
BOLIVIA


A arquitetura incaica é a maior pro1'a da im por­ tància de um povo qi1e constrni11 11111 im pério fabuloso, Seus templos resistiram ao te m po e às lu ta s político-religiosc.s. E contimwm sóli dos .


E l< TACh RO l.1ES DE Tl-.!ORLiCHE'.


A "chola" e o filh o 110s se1t s t ra jes t í picos, sírnliolos hu manos da Bolívia. Entre 11ós, tais tipos estc'io ' sendo d i1' 11l gados pela pi 11torn mode rna 1 Iaria L11i:a de Pac heco. Pi11t11ra holir imrn é 111oda.


Os indios al tiplânicos, descendentes diretos dos Incas, são exuberantes em suas demonstrações artísticas. A dan­ ça e a música dêles é famosa e estu­ dada em todo o mundo ociden tal .


Dia de festa na aldei_a. Turistas e estudiosos de todo o mundo visitam a Bolívia e o Peru para participar dos festejos populares dos índios. Uma festa de muitas côres. Uma beleza !

Sobre a coleção

Museu Ferroviário Regional de Bauru

Instalado junto à Estação Ferroviária, no centro da cidade Bauru, o Museu Ferroviário oferece ao visitante uma volta ao passado glorioso das ferrovias brasileiras, com exposição de fotografias, documentos, peças originais, maquetes e recriação de ambientes que remetem aos tempos da construção da NOB, até o final dos anos 30. Além de um passeio histórico através de curiosidades e peças de grande valor artístico, o Museu proporciona uma aula completa sobre a importância das ferrovias para o desenvolvimento econômico de Bauru e de todo o interior do Brasil.

Programa de Ação Cultural (ProAC) da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo
Associação de Preservação Ferroviária e de Ferromodelismo de Bauru
Apoio
Secretaria Municipal de Cultura de Bauru
Realização
Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo