Jornal da Cidade, 20 de abril de 1986.

Ver PDF em tela cheia
Transcrição (OCR)
Bauru, domingo, 20 de abril de 1986 Jomal da Cidade


Museu Ferroviário será instalado em pouco tempo


Estão acelerados os trabalhos para instalação do Museu Regional Ferroviário de Bauru. A comissão in­ tegrada por bauruenses, quase todos ferroviários da ativa e aposentados, foi instituída pelo prefeito José Angerami para acelerar os trabalhos e está agindo. Na direção desses trabalhos estão o professor Hilário Rosa, im­ plantador do Museu Histórico e Peda­ gógico Morgado de Matheus; Irineu de Azevedo Bastos, assessor do pre­ feito Angerami; Carlos Roberto La­ deira, vereador; Hilton Xavier de Lima, chefe administrativo da Regio­ nal da Fepasa em Bauru; engenheiro Wanderley Ferreira, da Superinten­ dência de Produção de Bauru da Rede Ferroviária Federal; José Rubens Lima Figueiredo, ex-ferroviário; Ga­ briel Ruiz Pelegrina, responsável pela coluna de notas históricas do JC e coordenador do Núcleo de Pesquisa Histórica da Universidade do Sagrado Coração; e mais de duas dezenas de ex-ferroviários e simpatizantes do mo­ vimento.

lista; outra numa parte das dependên­ cias dos antigos escritórios da No­ roeste".

Pelegrina detalha que na primeira

seção serão abrigadas peças de grande porte, como locomotivas, vagões, trucks e aparelhos de segurança, ao passo que na segunda, localizada na quadra um da rua l9 9e Agosto e que conserva as mesmas características da época da construção, será acomodada a parte histórica, constituída de farta documentação das duas ferrovias, fo­ to rafias, aparelhos de pequeno porte, objetos· antigos, lampeões, placas e bi­ blioteca específica sobre ferrovia. Nesse segundo espaço, segundo Pele­ grina, funcionou em 1905 o gabinete do primeiro diretor da Noroeste, Eu­ gênio Lafond. Nesse mesmo local foi recebido em 1908, quando veio inau­ gurar os primeiros 100 quilômetros da ferrovia, o presidente Affonso Penna. Daí que ele sediará também um audi­ tório e uma sala de palestras e para projeção de filmes e audiovisuais.

Tanto o velho armazém da Fe­


A comitiva de Ajfonso Penna em Botucatu. rumo a Bauru. De trem.

A comissão vem contando desde o início com o apoio dos superinten­ dentes locais da Rede e da Fepasa, bem como dos responsáveis pelas duas em São Paulo. Sobre o local onde será instalado o museu regional ferro­ viário, Gabriel Ruiz Pelegrina informa que "estudados os locais oferecidos, a comissão e os técnicos e museólogos da Rede e da Fepasa, com o apoio dos engenheirçs João Batista Pacheco Fantin e Alvaro Orlando Merli, con­ cluiu ser melhor dividir o museu em duas seções: uma do antigo armazém da Fepasa, na quadra um da rua Júlio Prestes; junto à antiga estação ca Pau-

pasa, quanto o antigo escritório do di­ retor da Noroeste, deverão passar por

significativas reformas, mas sem que percam suas características originais. Esse trabalho, sob a orientação de mu­ seólogos das duas ferrovias, já está a cargo de engenheiros e arquitetos.

O historiador bauruense adianta que na reunião da última semana foi decidida por unanimidade uma adap­ tação daquelas dependências a médio prazo. No prédio da rua }9 de Agosto será construído um frontespicio pró­ prio de entrada de museu. Haverá um trenzinho percorrendo os cerca de mil metros que separam as duas seções do

museu, em viagens constantes de ida e volta, em dias e horários pré­

determinados.

Grupos de ferroviários aposenta­ dos estão estudando e proporão para assim que seja inaugurado o museu, uma série de inovações. Como a pro­ moção, aos sábados e domingos, apre­ ços de excursão, de rápidas viagens ferroviárias de Bauru, a por exemplo, Lins, Botucatu, Marília, Jaú... Ou a composição de uma comissão que or­ ganizará excursões de longo percurso a Corumbá, ou Santos através do ra­ mal de Mairinque. Ou reunir periodi-

camente no local os antigos ferro­ viários, assim como instituir uma con­ decoração a fim de agraciar os ferro­ viários mais antigos, os que tiveram conduta exemplar como ferroviário, aqueles que tenham inventado ou J)TO­ posto às ferrovias alguns aperfeiç'oa­ mento de dispositivo destinado à me­

lhoria dos serviços ou à segurança do transporte ferroviário... ·:

"Nosso museu não será um lo-cal para a guarda de material obsoleto. Será lugar de alimento à saudade dos antigos e inspiração às realizações dos jovens. Será um museu pra frente e atuante", concluiu Pelegrina.

Sobre a coleção

Museu Ferroviário Regional de Bauru

Instalado junto à Estação Ferroviária, no centro da cidade Bauru, o Museu Ferroviário oferece ao visitante uma volta ao passado glorioso das ferrovias brasileiras, com exposição de fotografias, documentos, peças originais, maquetes e recriação de ambientes que remetem aos tempos da construção da NOB, até o final dos anos 30. Além de um passeio histórico através de curiosidades e peças de grande valor artístico, o Museu proporciona uma aula completa sobre a importância das ferrovias para o desenvolvimento econômico de Bauru e de todo o interior do Brasil.

Programa de Ação Cultural (ProAC) da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo
Apoio
Secretaria Municipal de Cultura de Bauru
Realização
Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo